O concurso e as canetas


Hoje foi dia do concurso da Embasa (falei dele noutro post). De manhã fui lá fazer a prova e vender  algumas canetas para os concorrentes. Dá um certo frio na barriga porque a gente sempre acha que os candidatos leram o edital. Mas sempre tem os incautos - e se eu tivesse chegado mais cedo, teria repassado mais unidades. As reações foram mais ou menos assim: "identificou uma oportunidade, hein? parabéns!"

À tarde, as provas eram para cargo de nível médio e eu e Tami fomos salvar os desavisados. Chegamos num colégio, já tinha um  vendedor. Em vez de abrir concorrência e reduzir preços, rumamos para outro lugar.  Daqui a pouco um maluco que estava trabalhando na organização (e alegou ser da equipe da CESPE que veio diretamente de Brasília) chegou querendo intimidar:

— Eu sei que tem os espertos (isto é, exploradores) querendo ganhar dinheiro fácil, mas você não pode falar que só pode usar caneta preta, porque se for azul, vamos aceitar, desde que seja transparente.

— Olha, eu vou continuar falando sim. Tá escrito aqui, ó: "caneta esferográfica preta, fabricada em material transparente". Eu fiz a prova de manhã e foi solicitado que os candidatos guardassem lápis, borracha e caneta azul, pois só era permitido a de tinta preta, conforme reza o edital. Se o fiscal aceitar outra cor, vai tá favorecendo um candidato!

Não me senti um porco capitalista explorador da classe oprimida, como ele quiz me taxar. Eu e Tami estávamos ali colaborando para que os candidatos atingissem seus objetivos - que não perdessem a chance de fazer a prova por um detalhe tão pequeno.

Ah! E pra provar que meu intento era ajudar o próximo, cheguei a trocar umas duas canetas de cor azul pela preta e até doei duas esferográficas para uma galera que eu percebi que não dispunham de dois reáu.

5 comentários:

  1. Enoch,

    Esta é a criatividade capitalista SEMPRE!

    Abraçao,

    João Melo

    ResponderExcluir
  2. kkkkkkkkkkk
    Tu é figura! Foi vender caneta!!!

    ResponderExcluir
  3. Amigo isto que você diz aí no blog é a pura verdade. Fiz um concurso aplicado pelo Cespe recentemente. Só que no momento da prova percebi que tinha esquecido de levar a minha caneta de cor preta, mas tinha uma caneta azul. A fiscal que aplicou a prova disse que não iria ter problema usar a azul, porém poderia dar erro de leitura óptica.
    Lógico fiquei apavorado como já estava dentro da sala a fiscal não me deixou sair ra comprar outra.
    Então usei a caneta de cor azul mesmo, mas apertando bem, tudo para que saísse uma letra bem azul escuro.
    Conferi minha prova com o gabarito lançado pelo Cespe dois dias depois e constatei que havia me classificado bem...
    Bom foi isso que eu imaginava, depois que saiu a listagem de aprovados meu nome nem estava lá.
    Perdi uma boa opurtunidade de me efetivar tudo por causa de uma maldita "caneta azul".
    Já mais façam a prova do Cespe de caneta azul, mesmo que o aplicador da prova ou o fiscal permitirem.

    ResponderExcluir
  4. Amigo não há problema algum em fazer com caneta azul. Fiz o concurso do MCTI com caneta azul e minha prova objetiva e 2 discursivas foram corrigidas!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. mas foi o concurso do cesp que vc fez?

      Excluir

Quero saber sua opinião. Mas veja que embaixo do formulário está escrito "comentar como: Selecionar perfil".

Clique para escolher uma das opções para se identificar.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...