Gething

Quem visita o site, vê do lado direito algumas palavras que fazem uma pequena introdução ao Além Das Curvas:

Passei desapercebido pelo erro ortográfico até que recebi um comentário anônimo:

Getting was write as gething. It's so funny.

Get + Things + Done = Gethings Done! E não é que é engraçado mesmo?!?

Planos de aprendizagem 2.0

Cláudio tá usando o Sunbird e o Google Calendar para preparar planos de aula e quer uma opinião. Ele também pretende disponibilizar isso para os alunos da melhor forma possível e vai usar, eu acho, um blog atrelado às disciplinas.

Shikida, não conheço nenhum programa free, mas aproveitei pra perguntar ao pessoal da Edublogosfera, que é fera em utilizar de maneira efetiva as TICs - Tecnologias e Interação e Comunicação. De qualquer forma, vejo algumas possibilidades a partir do que você já está usando:

a) Compartilhar a agenda
Imagino que para cada dia de aula você abre um "compromisso" e anota os conteúdos a serem trabalhados + as atividades a serem desenvolvidas naquele dia. Seriam essas entradas que você quer compartilhar?

Uma opção seria fazer uma agenda pública (ou compartilhada apenas com os alunos) e "salvar" esses compromissos lá também. No MSO (Microsoft Outlook) eu usaria uma categoria por disciplina (acho que no Sunbird dá pra categorizar também, né?). Já no Google Calendar não é possível atribuir categorias e tags, então, as opções seriam: 1) criar uma Agenda para cada disciplina, ou, 2) Usar um código identificador da disciplina no início de cada compromisso.

Os programas de agenda tem um campo assunto e um espaço para anotações. Geralmente eu escrevia "15a aula de Economia de Empresas" e elencava os assuntos do dia dentro do memorando anexo ao comprommisso. Só que às vezes queremos ter uma visão global do andamento das aulas, e assim fica impossível. Nesse ponto, geralmente a gente volta para a planilha, nossa velha conhecida! Mas uma solução simples seria identificar no campo "subject" o tema da aula, mais ou menos assim: "15a aula de Economia de Empresas (Curvas de Custo)"

b) Postar o plano de aula no blog
Outra opção, seria simplesmente escrever no blog qual serão os temas, de véspera, abrindo espaço para os alunos comentarem depois da aula. Não esqueçer de criar uma categoria pra cada disciplina.

Em 2007 usei um blog como apoio a uma disciplina. Os objetivos foram parcialmente atendidos, pois a maioria dos alunos diziam não ter acesso regular à internet. Também já experimentei trabalhar com lista de discussão. Pelos minhas poucas andanças, tenho visto que o mais comum é os alunos criarem um email "da turma" para o professor "mandar material".

c) Criar um site colaborativo
A terceira sugestão é criar um wiki - recomendo o Google Sites (ver isto e este) - e colocar ementa, plano de curso (ou de aprendizagem, como chamam hoje :) e também registrar lá cada dia de aula. Exemplificando, abre-se uma página para o cronograma de aulas, no formato lista, como estamos acostumados:

(...)
"15a aula de E.E (Curvas de Custo)"
"16a aula de E.E (Oferta da Firma)"
(...)

Aí, para cada dia, cria-se um hyperlink para uma nova página onde será detalhado/ planejado o plano daquela aula. Essa páginas - os diários de aula - também podem ser editadas pelos alunos, que acrescentariam informações para ampliar o assunto, notas de aula, resumos de leituras, etc, etc

Cinema do interior



Século passado Jequié chegou a ter três cinemas funcionando. Depois passamos décadas sem nenhum. Há alguns meses, um empreededor de longe ouviu os anseios da população e montou uma sala aqui na cidade.

Interessante a improvisação: um galpão, forrado por dentro com panos pretos. Dois arcordicionados e cerca de três ventiladores. O som não é dos melhores, os filmes em cartaz não são exatamente lançamentos.Ontem eu estava lá, na sessão da tarde, assistindo... Wall-E!

Não, não estou reclamando. Primeiro, ir ao cinema é uma experiência diferente de assistir o filme em casa. Segundo, os preços são razoáveis. 

No início só passavam filmes dublados. O povo pediu, e agora já passam filmes legendados de vez em quando. Fizeram uma carteirinha de descontos e tem até um site com a programação. Aos poucos, eles vão se ajustando de acordo com a demanda. E, lógico, a lei da oferta e da procura está presente: o preço do ingresso aumentou aumenta nos fins de semana!

Tem que delegar mais e melhor!

A equipe é enxuta, competente, e a quantidade de trabalho é grande. Sou tipo um gerente de projetos. E também pego no batente.

Percebi, depois de vários sinais, que eu estava muito centralizador. Por que? Me envolvi muito no operacional e acabei dedicando menos tempo que o necessário ao planejamento tático e distribuição de tarefas. Esse acúmulo de minha parte resultou em comunicação deficiente. Estava me sobrecarregando e sub-utilizando a capacidade das pessoas.

Identificado os pontos de estrangulamento, envidei esforços para colocar a carruagem nos eixos novamente. Parece que está dando certo.

Não quero ser como aqueles "chefes que não ouvem seus subordinados". Sorte minha que há espaço para melhorar o aprendizado sobre a arte de delegar.

Ouça uma reflexão do Max Gehringer:

Declaração de Missão Pessoal

Se eu for escrever minha Declaração de Missão Pessoal, como sugere Sthepen Covey (de Os Sete Hábitos...), ela ficaria mais ou menos assim:

"Aprender e construir coisas novas, e fazer diferença na vida das pessoas"

Nessa vida sou um mero aprendiz e ainda há muito o que caminhar.

Quando terminei minha monografia de graduação (fazem alguns anos já), e um artigo oriundo dela foi aceito no Congresso da Sober, falei com meu orientador:

- Professor, vou fazer minha inscricão como "profissional", pois na época do evento já terei colado grau, não serei mais estudante! Esse detalhe fará diferença no meu currículo, não é?
- Enoch, se você puder, se inscreva como estudante (era a metade do preço). Afinal, nunca deixamos de ser estudantes!

Tá bom. Tirando a parte dos micos... Fico realmente feliz quando, de alguma forma, sou vetor para o desenvolvimento de alguém, por menor que tenha sido minha contribuição, como as dicas que escrevi para quem vai apresentar o TCC ou a sugestão que dei ao Ricardo, para quando ele fosse corrigir provas.

----------------------------------------
Post Scriptum:
Hoje é o último dia da promoção do SugarSync. Depois, o bônus por cada indicação cai pela metade.

Depois da formatura, que rumo tomam?

Crucial é saber o que se quer fazer profissionalmente depois da graduação - argumenta Vitor Wilher. Amplio um pouco o assunto: o que a maioria das pessoas realmente faz após o curso de Economia?!? A mesma reflexão se aplica aos oriundos da Administração e dos demais cursos que integram as ciências sociais aplicadas.

Não sei como é com os egressos das faculdades top de linha, mas com os formandos dos cursos medianos (e, principalmente no interior) a tendência é continuar fazendo aquilo que se fazia antes. Quem já estava colocado, continua no mesmo emprego e função. Se o cara não fazia nada antes, vai continuar fazendo nada. Se tocava algum empreendimento, continuará fazendo aquilo. Isso permanece até que a sorte lhe cai na sua cabeça, ou a figura resolva ralar pra sair da inércia.

Estou falando de coisas que tenho visto de perto e se repete ao longo dos anos. Por isso, digo: o que se faz durante o curso é muito importante. Melhor traçar logo um plano de carreira, senão veja o que acontece:

Durante a graduação...

Vejo, por exemplo, pessoas com o perfil adequado (mais ou menos 22 anos, solteiras, sem filhos) vão trabalhar em bancos comerciais e depois são promovidas a operador de caixa ou escriturário. Alguns chegam a gerente de conta.

Por causa da bolsa, outros permanecem longo tempo em estágios que não lhes acrescentará nada de novo depois de alguns meses .

Ainda nessa categoria, tem aqueles que vão estagiar no laboratório de informática ou em setores administrativos das universidades.

Logo depois da Graduação:

Vitor agrupa em quatro campos as possibilidades de atuação de um economista: o campo acadêmico; o campo financeiro; o campo corporativo; e as consultorias (e lá ele discorre sobre cada um).

A realidade que observo é que, com medo de enfrentar o mercado (ou de acessar sua rede de contatos), muitos se tornam concurseiros profissionais desde o início.

Alguns saem do interior e vão super verdes para a capital se aventurar na busca da primeira oportunidade (isso é complicado...). Distribuem currículos aleatoriamente, e por fim, se não se adaptarem a outros trabalhos, acabam retornando.

A realidade nua e crua:

Só depois que se formam, percebem que não é o fim do mundo exercer atividades que antes consideravam improváveis para um graduado em economia, administração, direito ou contábeis. Trabalhar atrás de balcão, apitar no trânsito, etc é comum e isso acontece com muita frequência. Para alguns, por falta de melhores oportunidades, e para outros, por pura opção (e são felizes assim).

Muitos que que estudam longe da casa dos pais, voltam para o ninho assim que se formam. A não ser que haja uma coisa muito boa os esperando, considero voltar (imediatamente) um erro. No local onde eles recém se formaram, conquistaram seu espaço. Amigos, professores e o mercado vão reconhecê-los como recém-formados com potencial para alguma coisa. Se eles simplesmente retornam para o local de origem, terão que recomeçar tudo novamente.

Mas, no final das contas, mesmo esses conseguem seu espaço no mercado de trabalho. Educação sempre vale a pena.

Arquivos: aqui, ali, em qualquer lugar


Hoje vou comentar sobre dois programas que uso para manter pastas e arquivos sincronizados entre vários computadores (sem necessidade que ambos estejam ligados ao mesmo tempo) e ainda manter um backup online - nas nuvens. Não se avexe, leia até o final, tem surpresa!

Os dados, além de ficarem localmente nos computadores, podem ser acessados de qualquer browser (Internet Explorer, Mozilla Firefox, Opera, Chrome, etc), via internet, através de uma página segura.

Mesmo que você possua apenas um computador, convém ter cópia atualizada dos seus arquivos mais importantes na internet. Se você não possui computador algum, então tenha seu "disco virtual" acessível de qualquer lugar. Já os envia para o email? Email não é a melhor solução pra isso. Já tem um pendrive gigante, de 4GB, que te permite carregar os arquivos para todo lugar, sem depender de conexão? Ainda assim, recomendo!

Ambos os programas possuem cliente desktop para Windows e Mac, página para acesso via browsers normais e para browsers de dispositivos móveis. Permitem fazer streaming de música e compartilhar pastas inteiras com outras pessoas.


Até já comentei rapidamente sobre eles. Não serei repetitivo falando das características de cada um. Mostrarei alguns pontos específicos que notei ao usá-los:

Live Mesh
  1. Permite acessar remotamente os outros computadores. Por exemplo, se você estiver longe do desktop, mas ele estiver ligado, você pode "entrar" para executar algum comando.
  2. Pode-se escutar suas músicas e vídeos direto no browser
  3. Dá pra fazer upload a partir da página mobile.
  4. É disponibilizado um espaço de 5GB, sem possibilidade de expansão.
  5. O programa avisa quais as últimas alterações e ainda é possivel escrever lembretes
  6. Se você equivocadamente apagar um arquivo, ele será retirado de todos os computadores também.
  7. Lá no Baixaki é possível encontrar um minitutorial em português, e outro, mais completo, no Peopleware. E aponte *aqui* para ver as demais características.

SugarSync



  1. É possível escutar suas músicas por streaming no computador ou no celular.
  2. Se você edita um documento várias vezes, ele guarda, se não me engano, as 5 últimas versões. Se um arquivo é deletado no computador, ele vai pra uma lixeira virtual, online, no SugarSync.
  3. Pode-se editar um documento ou planilha diretamente no browser, sem precisar baixá-lo.
  4. Permite enviar arquivos por email, onde o destinatário receberá um link para fazer o download.
  5. Possui clientes para iphone, windows mobile e blackberries
  6. A conta free permite sincronismo com 2 computadores e dá direito a 2GB.
  7. Pode-se testar os recursos completos por 30 dias. Se a conta gratuita não for suficiente, é possível adquirir mais espaço, com planos a partir de 30GB a U$4,99/mês.
  8. Informações em português: tem matéria no G1, tem texto explicativo no "Dicas de suporte do Garcia" e minitutorial no Baixaki. Veja a opinião do E aponte o mouse *aqui* para fazer um tour pelo programa.

Os dois estão instalados aqui, mas meu preferido é o SugarSync, que também é recomendado pelo Erick Engelhardt.

E agora, a melhor parte!

Cadastrando-se no SugarSync a partir deste *link promocional* (http://migre.me/3g06) até 15 de julho 31 de Agosto, tanto eu quanto você ganhamos mais 500MB na conta gratuita! E se você fechar algum plano pago, o bônus é de 10GB!

Mas atenção: não basta se inscrever. Tem que fazer o download do programa, instalar e sincronizar pelo menos um arquivo ou pasta!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...