Rapidinhas #10

1) Chegou meu autopresente de natal! Minha primeira câmera fotográfica digital - uma compacta. Depois que fiz o pedido, vi muita gente reclamando da Apetrexo. Apezar do friozinho na barriga, a encomenda chegou bem. Acho que andaram se atrapalhando com o aumento nas vendas. Deixo registrado que primeiro me mandaram um número de rastreio inexistente, e só depois, quando liguei, deram uma desculpa qualquer e postaram (daí me deram outro código)...

2) Ando trabalhando (nos Ovos) neste fim de ano,  tenho um relatório da tutoria pra terminar e também já comecei a fazer a limpeza anual da papelada (inclusive preciso de uma nova remessa de cartolinas).

3) Várias visitas familiares: tias e prima vieram passear. E minha outra irmã chegou de surpresa trazendo meus sobrinhos.

Sugestão de cardápio para o dia 25


Eita, pau pereira

Acabo de voltar de João Pessoa, terra de Anayde Beiriz, a paraíba masculina. Não passei na seleção local (vou pôr a culpa nas integrais parciais, hehehe) mas valeu muito a pena ter ido. Foi bem legal encontrar pessoalmente com gente que eu só conhecia/ conversava por meio de bits e bytes. Bati papo com Erik, Cleiton e Ana Raquel. Estive com Semírames, Ionara e Bruna, e ainda conheci meio mundo de gente nova.

Conheci a UFPB, assisti à aula pública do prof. Luis Renato, fui bem atendido no JR Hotel, comi cabrito e tapióca, me lavei nas águas da praia de Tambaú, andei pelo centro da cidade. Infelizmente, deixei para tomar banho pelado numa praia de nudismo que tem por lá, da próxima vez que eu for.

O tempo escasso e os compromissos de ambos não deixaram eu tomar um suco com o Orlando (Netnografando), nem deu pra eu ir visitar minha amiga Alcione em Campina Grande.

Por três vezes, ao pedir água mineral de meio litro, diziam que não tinha. Quando eu apontava, exclamavam: ah, por que tu num falasse logo? É a de 500ml!

Longas viagens de ônibus são um passeio à parte! Cansa mas é divertido. Fui e vim num carro que faz a linha Rio - João Pessoa. Como estão duplicando trechos da pista entre a Paraiba e Alagoas, o ônibus andava, parava, esperava e voltava a andar. Alguns reclamavam que prefiririam poder abrir a janela e sentir o vento do que se refrescar com o ar condicionado. Na volta, um casal de idosos não parava de mastigar: levaram uma sacola com farofa, chá, água, frutas, inhame com peixe, etc.

Dicas:
  • Quem não gosta de levar um estoque de mantimentos como os velhinhos citados anteriormente, e para quem não quer pagar fortunas em comida requentada dos pontos de apoio, sempre olhem em volta. Do lado de fora sempre tem um bar, um restaurante ou barraquinha com preços mais em conta.
  • Na rodoviária de Esplanada (BA) a coxinha custa apenas R$2,00
  • Prefira comprar água mineral de 1,5 litros em vez de garrafinhas de 500ml
  • Acredite, lenços umidecidos (aqueles de limpar bunda de bebê) podem ser muito úteis.





Leia também: Mestrado com data marcada.
Bônus: Se você está lendo pelo feed ou por email, visite o site pra ver dois vídeos incorporados

Mestrado com data marcada

Dias atrás Ricardo Martini chegou a anunciar e desejar sucesso, mas eu ainda estava em meio a outros processos seletivos. Enfim: agora já está definido e o mestrado será em... (and the Oscar goes to...) Salvador!

No dia em que farei aniversário, 1º de março de 2010, começarão as minhas aulas no mestrado em economia da Universidade Federal da Bahia - UFBa.

No começo são três disciplinas obrigatórias: Econometria, (professor a definir) (Gervásio Ferreira dos Santos), Métodos Quantitativos (com um professor de nome Gentil) e Economia Política (com Paulo Balanco e Luis Filgueiras).
Macroeconomia e microeconomia são coisas para o segundo semestre.

À todos que me acompanham e torcem, a batalha continua, agora numa nova etapa. E já que o universo conspirou para que eu fique na Bahia ano que vem, então vamos lá... Vou comer com sal esse negócio.

E não sei porquê, mas agora, pra comemorar, me deu vontade de cantar outra música de Raul Seixas: ouro de tolo.

Resultados pós-anpec

Obrigado a todos que participaram da campanha Libera, vai, libera! Libera para Enoch entrar! É meu dever dar um feedback em respeito a vocês que me acompanham. Nas próximas linhas falo a quê resultados chegamos e quais os próximos passos prováveis.

Mea Culpa: já comentei aqui como foi minha preparação para as provas. Fiz o que foi possível. A ANPEC é decidida pelo desempenho e não pelo potencial. Pra ir bem no exame, tem que ter bom preparo técnico. A solução é me preparar melhor, caso eu resolva fazer de novo.

A UFBA

Dia 24/11 saiu a terceira rodada de resultados e meu nome não estava lá. Ainda costumam fazer uma quarta chamada, geralmente por email. Não se sabe direito o critério que eles utilizam para classificar e chamar, mas há fortes indícios de quem já foi aluno da casa é privilegiado (desde a primeira lista). Levando em consideração que só este ano tem 8 ex-alunos que foram jubilados e estão querendo retornar e mais X^n pessoas que cursaram disciplinas como aluno especial ainda esperam uma vaguinha, o melhor mesmo é que eu não alimente esperanças.

A UFPB

Como sabemos, fui o 16º colocado por lá, eram 12 vagas, e não serei chamado via ANPEC. Já era sabido que, em vez de chamar os próximos da lista, eles preferem não completar as vagas remanescentes, deixando-as para a seleção local.

A Seleção local da Paraíba

A primeira fase acontecerá em meados de Dezembro. A segunda etapa são dois meses de dedicação exclusiva a um curso de nivelamento, e só ao final desse período saberemos se seremos aceitos no mestrado. O problema é que as informações não são claras o bastante - e o custo de oportunidade é alto, assim como os riscos.

No site do mestrado, as datas de inscrição e realização das provas não estão batendo (tirei um prinscreen da tela). Hoje de manhã pedi que me esclarecessem, e perguntei se havia mais alguma alteração ou informação nova a ser considerada. Eles foram atenciosos e responderam logo. Mas as novas informações foram tão... tão... tão... tão contraditórias, prefiro não comentar aqui (quem quiser saber, me pergunte em pvt). Me deu um nervoso!!!!


E agora, José?

Estou cheio de trabalhos a serem concluídos impreterivelmente até a segunda semana de dezembro. Portanto, estou estudando um pouco, no pouco tempo livre que me resta. Farei a inscrição para a seleção local. Mas na hora H, não sei se viajarei para João Pessoa, fazer as provas. Não sei se aguentaria mais emoções vindas de informações de última hora...

Eles são bastante exigentes, e não é à toa que o curso melhorou bastante nos últimos anos. É claro que a qualidade do curso só me faz querer ir pra lá. Só não sei se vale a pena tentar mais uma vez agora, ou deixar logo pra tentar de novo ano que vem.

Quando me dizem que nunca é tarde, me lembro da senhora que entrou no mestrado em economia aos 65 anos. Como só tenho 30, ainda posso viver mais uma vida antes de pensar em mestrado novamente : )

[ATUALIZAÇÃO]
Como minha vó costuma dizer, o choro pode durar uma noite, mas a alegria vem ao amanhecer. Seis dias depois tive uma boa notícia.
[/ATUALIZAÇÃO]
----
Foto: capturada do flickr de Alexandre Kuba.

É de batalhas que se vive a vida

O Pedro (Homo econometricum) tá se sentindo um maluco beleza em meio à maratona!
Já no meu caso, como sabemos, ainda luto para dar início à minha largada na corrida. Andei tendo umas notícias tristes (depois eu conto) ... mas na sexta, no finalzinho da tarde, Raul Seixas e Paulo Coelho também tocaram meu coração (hahaha). A canção foi outra:
"Tente
Não diga que a vitória está perdida
Se é de batalhas que se vive a vida
Tente outra vez"



O conselho, na voz de Shirley Carvalho:
"Tente
Levante tua mão sedenta e recomece a andar
Não pense que a cabeça aguenta se você parar
Há uma voz que canta, uma voz que dança, uma voz que gira
Bailando no ar
"


"Queira
Basta ser sincero e desejar profundo
Você será capaz de sacudir o mundo
Tente outra vez"

Em busca do sonho americano?

Assistindo o Caldeirão do Hulk, vi aquele quadro onde Luciano entregava pizzas em New York. Contava a história de uma família que foi em busca de um sonho. À todo momento eles repetiam que assim que conseguissem atingir o objetivo, voltariam ao Brasil. O problema é que eles não veem perspectiva de como chegarão ao alvo. Pelo que entendi, o sonho mesmo é poder voltar pra casa.

Ao ouvir a história de dificuldades, exclamei:
— Estudar ninguém quer, mas se aventurar atravessando de um país ao outro nadando, pra lavar pratos e tirar poeira nos States, todo mundo tá dentro!

Aí soube que no dia anterior o Globo Reporter fez uma matéria mostrando que buscar qualificação vale a pena. E nem precisa ser nível superior!

Marcelo Neri, da FGV, dá entrevista dizendo que um curso técnico já é suficiente pra dar um upgrade na vida! (vá lá e baixe a pesquisa completa)

Para confirmar esse pensamento, teremos concurso da EMBASA ainda este ano de 2009 - provas em janeiro de 2010. O edital mostra claramente que vale a pena se qualificar. Quem tem nivel médio começa com salário de R$800. Técnicos ganharão cerca de R$1.400 e o pessoal graduado, R$4 mil. As provas serão específicas para cada tipo de formação - economistas, administradores, contadores, engenheiros, pessoal de serviço social, jornalistas, etc.

O cara que acreditava naquilo que fazia

Em plena era da informação e das redes, ainda não consigo aceitar que uma notícia dessas demore duas semanas para vir à tona. Deixo registrado aqui o link para uma justa homenagem ao Olavo Rocha.

Aproveito o ensejo para tornar público, que, lá na UESB, de vez em quando, logo depois do expediente, eu reunia o pessoal para uma mini-sessão de cinema, em que, quase sempre, os filmes eram produzidos pela Fonft. As sessões eram acompanhadas de debates acalorados, onde os colegas me chamavam carinhosamente de "burguês defensor da exploração da mais-valia".

Rapidinhas #8

Esta semana será dedicada a colocar algumas coisas em dia, e dar o pontapé para organizar e executar outras!

Por exemplo, faz quase um mês que voltei da seleção do mestrado, e nem desarrumei a mala completamente ainda.

Aqui no blog, tem uma pá de coisas que quero comentar ao longo os próximos dias:
  • Registrar momentos da viagem à Salvador (essa, da ANPEC);
  • falar que tô com vergonha por andar tão pouco presente ausente no grupo de discussão (mas tenho visto que as convesações lá estão interessantes);
  • comentar sobre o encontro presencial do curso de Mídias, que aconteceu semana passada;
  • dar uma dica em relação à hiperlynks hyperlinks em ebooks e material digital que costumam ser impressos;
  • dizer que o Netbook tem sido bastante útil;
  • expressar como é chato e zarro a atitude que algumas pessoas tem de deixar os outros no vácuo (em discussões online);
  • etecetera

Caravana em Salvador

A Liberdade Na Estrada passará em Salvador nesta segunda, dia 19 de outubro.

O encontro vai acontecer no campus de Ondina. O mais lógico seria acontecer no prédio de Economia, Adm e Contábeis, que fica na Praça da Piedade. Até agora não vi uma notinha de divulgação, nem no site da graduação, nem no site do mestrado em Economia. Será que não permitiram que o evento acontecesse lá?

Infelizmente não estarei presente, pois tenho que resolver umas coisas aqui para poder viajar no dia seguinte. Mais ainda dá tempo de fazer minha parte: avisar aos amigos, passar um email ao curso de economia, postar no twitter, etc.

A caravana está passando por várias cidades. Para mais informações sobre o projeto, além da página com informações, pode-se ver fotos no blog da Ordem Livre e ler as impressões que Shikida teve quando o pessoal passou por BH.

Em Salvador:
  • Data e Horário: 19/10/2009 das 13-17h
  • Local: Auditório do Pavilhão de Aulas da Federação III (próximo à Biblioteca Central Reitor Macedo Costa)
  • Avenida Adhemar de Barros, s/nº - Campus Universitário de Ondina

Esperando o chamado



Esse vídeo foi divulgado agora a pouco lá na comunidade da ANPEC no Orkut. Ilustra a agonia que nós, candidatos, passamos enquanto aguardamos. Não é como em outras seleções, onde sai uma lista e já sabemos se passamos ou não. O resultado acontece ao longo de, no mínimo, três semanas!

O trabalho é da mesma pessoa que fez o outro vídeo - aquele que mostra a frustração de Hitler com a prova. O anônimo em questão usa o nome de Alerton Melo e tem página no iutubiu: aleconomista1

Vamos pra Jacobina?


Visualizar Rota de Jequié para Jacobina em um mapa maior

Lembram daquele curso de Tutoria? Pois é, rendeu frutos. Estive em Vitória Da Conquista recebendo um treinamento para mediar uma turma do curso de Mídias na Educação.

O trabalho será via internet, mas haverão dois encontros presenciais: um no início, outro no fim. O primeiro momento será nos dias 20 e 21 de Outubro - estarei em Jacobina, Bahia.

Não conheço, e só sei que é longe. Dicas?

ANPEC 2010: Como prever sua classificação

O Carlos Cinelli fez uma rápida regressão para tentar prever a classificação oficial dos candidatos, baseado no pré-ranking + lista oficial do ano passado, com os devidos ajustes para a amostra deste ano.
  1. Preencha o formulário (caso ainda não tenha feito)
  2. Em seguida, aguarde para que façamos os cálculos e reclassifiquemos a planilha
  3. Daí pegue sua classificação na planilha, eleve à potência 1,5 e multiplique o resultado por 0,22.



Veja mais esclarecimentos na comunidade.
Leia também o post sobre as planilhas colaborativas.

Elas são descontroladas

Sobre escolha intertemporal, não tem jeito. Está cientificamente comprovado, pelo teste do marshmallow, que mulheres não tem autocontrole.



Meninas, não me acusem de ser machista. É porque vocês são como são, que as amo!

Exame ANPEC 2010 - Planilhas colaborativas

[ATUALIZAÇÃO]

(Apóie também a campanha: Libera, vai, libera!)

Sabemos que a classificação geral já está saindo e os Centros estão chamando. Os resultados vão se definindo ao longo de todo o mês de novembro. Vamos nos ajudar?!?

Desabilitei temporariamente a entrada de dados via formulário, e a planilha agora está aberta para qualquer um poder editar. Mexa com cuidado!

Adicionei campos para classificação oficial com e sem a prova de brasileira, centros que chamaram, centro que vc escolherá e mais um campo para observações e pedidos.

Se seu nome já estiver contido, clique dentro da planilha, dê "Crtl + F" e faça a busca pelo nome.

Se você vai lançar seus dados pela primeira vez, lance no final da planilha. Procure preencher com o máximo de informações - sua nota inclusive.

As colunas coloridas devem ser preenchidas copiando e colando a fórmula da célula logo acima (aqui não, lá na planilha, hehehe)

[/ATUALIZAÇÃO]
--------------------
Atenção pessoal que fez o Exame ANPEC 2010, saiu o gabarito oficial - antes dos recursos.

Se você ainda não conferiu seu gabarito, baixe essa planilha como apoio: (compatível com excel 97-2003 AQUI)

Em seguida, lance suas notas neste formulário online (AQUI)
OBS:

  • Leiam atentamente as instruções do formulário.
  • Os totais e médias são colocados na mão grande mesmo, puxando a fórmula na planilha, e não no formulário. Por enquanto, meia dúzia de pessoas podem editar a planilha.
Seus dados alimentarão a planilha colaborativa, o pré-ranking ANPEC 2010, que pode ser vista online: (AQUI).

Depois disso, é possível fazer um pequeno cálculo para prever qual será sua colocação mesmo antes do resultado final sair (AQUI).

Acompanhe as discussões na Comunidade da ANPEC no Orkut: (AQUI)
  • Direto ao ponto: (AQUI)
Quer ver o pré-ranking ANPEC 2009? A versão da planilha colaborativa, antes (Chamada) (planilha online).

a planilha que a ANPEC soltou ano passado, com asa notas de todos os candidatos, acrescida de informações, pode ser vista apontando o mouse para ESTE endereço.

Veja tudo o que já foi publicado aqui no blog sobre a ANPEC: (AQUI)

E o documentário, que virou o mais novo hit da internet, sucesso de orkut e blogosfera de economia:

Nota de falecimento

Toffe, poser, peladoToff, peludo

Toffe, o cachorrinho que quando nasceu cabia na palma de minha mão, faleceu hoje de manhã. Minha irmã ligou avisando. Foram sete anos de alegrias, e algumas preocupações de vez em quando...

Ainda estou em Salvador - vou chegar em Jequié segunda de amanhã. Nos últimos dias não pude dar atenção pois estava no corre-corre resolvendo coisas, e em seguida viajei para fazer as provas da ANPEC. Nesta semana, em que ele adoeceu, foi Tami que segurou a barra, cuidando dele dia e noite.

Topeiras

Uma das coisas boas da internet é poder fazer parte de projetos colaborativos e ações coletivas. Mas não sei se é preguiça, descuido, falta de leitura, ou sei-lá-o-quê, que se deixamos a coisa "livre", a tendência é desandar. As pessoas fazem merda se atrapalham e nem dão o trabalho de avisar.

Aquele mapa dos mestrados em economia, volta e meia alguém esculhamba. Chegam pelo google para fazer consultas pessoais, daí salvam rotas que não tem nada a ver, mudam o título e descrição do mapa, etc. Agora mesmo tive que fazer uma limpeza, pois uma tal de Leninha fez caca por lá e deixou.

Ano passado, no pré-Ranking pós ANPEC, quando deixávamos a edição aberta a todos, sempre vinha um que fudia desarrumava tudo.

O mundo estaria bem melhor se as pessoas lessem as instruções...

Desabafei. Agora deixa eu voltar aos livros.

Rapidinhas #7

Só ontem à tarde consegui finalmente entrar em recesso pra ir estudando e me concentrando para a prova da ANPEC, que acontece daqui a 12 dias. Até fui para a biblioteca, e vou ficar morando lá até semana que vem.

Ainda não enviei os documentos (currículo, histórico, carta, essas coisas) para os Centros que escolhi. Queria mandar só depois, a depender de minha pontuação, afinal, diz a lenda que eles nem olham essas coisas. Também falta provindenciar um lugar para pousar próximo do local de prova (em Salvador). E nem sei onde coloquei o comprovante de inscrição!

Já diz o ditado, o que é do homem, o bicho não come!

Resolver outras pendências, fazer outras leituras, só em outubro, quando eu voltar.

Ah! é recesso, e não férias. Férias é pra curtir e descansar! hehehe

Keep Moving

Dias atrás Erik fez um breve comentário sobre desigualdade e a questão das oportunidades. Acabou citando Jose Ortega Y Gasset. A célebre frase do filósofo espanhol sentencia: "Eu sou eu e minha circunstância, e se não salvo a ela, não me salvo a mim"


(Nota mental: qualquer hora dessas, ler os textos que Erik indicou, pra entender mais sobre a questão levantada)

Ao ler o post, me veio à mente um trecho de Rocky Balboa, indicado por um amigo. Me identifico porque fala de garra, perseverança e resiliência:

(...) But ain't about how hard you hit... It's about how hard you can get hit, and keep moving forward (...)

Veja o vídeo de pouco mais de um minuto, legendado em português:


Ou seja: o que nos torna vencedores, não é o quão forte conseguimos bater, mas nossa capacidade de levar porrada e continuar seguindo em frente!

Biblioteca Virtual e aluguel de livros

Att: Não confundir biblioteca virtual com biblioteca digital =)

O Cristiano M Costa falou que nos Estados Unidos, em vez de comprar ou simplesmente emprestar na biblioteca, os estudantes universitários estão alugando livros, tanto em papel como em meio eletrônico. Excelente idéia.

Aqui no Brasil, desde 2005, a Pearson Editora (Prentice Hall, Makron Books, Artmed, Bookman, Financial Times) tem uma Biblioteca Virtual, onde pode-se ter acesso (através da internet) ao conteúdo do livro por cerca de 10% a 20% do valor de capa. Pode-se imprimir, fazer anotações, etc.

Pelo que me lembro, o modelo de negócios não previa a venda de e-books. Só o acesso ao conteúdo mesmo. Muitos ainda tem resistência em ler de modo vertical, e não sei como anda a receptividade à novidade. Espero que esteja dando certo e o projeto não precise ser abortado.

Fica a dica!

Tendo aulas de tutoria

Tô fazendo um curso de Tutoria em EAD Online oferecido pela UESB através do ambiente colaborativo de aprendizagem e-ProInfo. O objetivo é preparar pessoas para serem tutores nos cursos à distância que vão implantar, mais cedo ou mais tarde, na universidade.

Vejamos o conteúdo programático:
  • Tutoria em EAD online - A questão da tutoria. A rotina da tutoria. Ferramentas de interatividade.
  • Blog, Flog e Webquest - Este módulo tem por objetivo estudar as possibilidades oferecidas pelos recursos de multimidia dos Blogs, Flogs e Webquest propiciando aos professores alternativas de atividades para otimizar o ensino-aprendizagem do conteudo de suas disciplinas.
Vamos ver o que me espera... Já tenho algumas experiências como aluno de cursos online, participo ativamente de redes, participando, colaborando, coordenando, e tendo iniciativas; já usei TICs em minhas aulas, etc.

O certificado pode ser importante para sinalização, caso surja alguma oportunidade interessante... Sem contar que o curso é uma espécie de free lunch...

Contagem regressiva

(Post atualizado e republicado)
Passada aquela fase inicial de apreensão e dúvidas, fiz minha inscrição para a seleção do mestrado.  Considerando o conjunto de restrições, optei para os seguintes centros (ordem alfabética): CAEN (Fortaleza), CEDEPLAR (BH), IPE-USP (SP), PIMES (Recife), UFBa (Salvador), UFPB (João Pessoa). Em 2010 vou morar numa dessas cidades!

Falta pouco mais de um mês para o exame. Tô estudando como posso, ainda vou analisar melhor a viabilidade de usar a técnica do chute.  Se não for chamado pra lugar algum, já tenho um plano B e outro C. O que não dá é protelar ainda mais o mestrado.

Apesar de ter começado a me preparar desde o final do ano passado, a verdade é que meu dia-a-dia é corrido (houve uma época em que eu trabalhava quatro turnos em três atividades diferentes). Venho matando um leão por dia.

Então, o tempo que sobra para as horas-bunda necessárias é muito pouco. E sinto que só vou quebrar essa rotina quando eu me afastar das atividades para me dedicar aos estudos — mas não posso fazer isso até que efetivamente passe num processo seletivo.

Eis que, há poucos dias, uma tranquilidade vem tomando conta de mim. A ansiedade com a prova tá dando lugar à seguinte certeza:

Eu mereço passar porque sou um bom garoto! Tenho me comportado direitinho durante todo o ano...

Sobre o processo seletivo

Pra quem chega aqui e fica voando quando ouve falar em ANPEC, faço uma simples rápida explanacão:

O processo seletivo para os mestrados acadêmicos em economia é bem diferente das seleções tradicionais que a maioria está acostumada. Geralmente não tem entrevista, nem projeto de pesquisa, nem análise de currículo.

As inscrições acontecem entre junho e julho. O valor já elimina candidatos: muita gente não está disposta a pagar a módica taxa de R$ trezentos e dez! Daí escolhemos concorrer a até 06 centros de pós-graduação. Os custos são menores do seriam para participar de seis concursos independentes.

No início de outubro, fazemos uma prova objetiva onde uma escolha errada anula uma certa (sim, pode-se ficar com nota negativa). Na verdade, são seis provas em dois dias. Cada prova tem 15 questões, com 5 subitens, onde dizemos se cada subitem é Verdadeiro ou Falso. Aconselha-se marcar apenas quando se tem certeza.

Porque o chute não é recomendado? Suponha que, historicamente, uma média de 5 questões certas por prova aprova pessoas num mestrado em que você estaria disposto a cursar. Se você tem certeza que fez o suficiente, não compensa se aventurar a baixar a nota e perder a vaga.

Em novembro sai a classificação final. Durante três semanas acontecem três rodadas de resultados. Nesse período os centros entram em contato com os canditatos e escolhemos para onde queremos ir, caso sejamos contatados por mais de um.

A prova é tão difícil que os 40 melhores colocados (de cerca de mil) só conseguem fazer dois terços das questões!

Apesar das críticas, esse jeito de selecionar agrada a maioria. Quem quiser complementar, fiquem à vontade para usar os comentários.

É imoral, é legal, e não engorda

Acabo de ler sobre o problema com a Camiseteria originado por um vacilo. Jogaram a comunidade fora e agora a querem de volta. Pra isso, querem cometer cometeram um atentado à liberdade.

O que o fake fez pode até ser anti-ético ou imoral. Mas não é ilegal, pois o cara não "roubou" a propriedade de ninguém. E como owner atual, ele pode fazer daquele espaço o que bem entender.

Abriram uma espécie de concurso para tentar banir o cara e reaver a comunidade. Mas se olharmos direito, a conduta do fake não se enquadra em nehuma das alternativas que existem para denuciá-lo por "abuso no orkut".

Vejam bem: não apóio as atitudes do fake. Bem sei que muitos fakes são trolls que só servem para dar dor de cabeça.

Sou cliente e fã da empresa, e leitor do Fábio Seixas. Mas a justificativa que o pessoal da Camiseteria sugere para embasar o intento, ao meu ver, pode apenas levar o Orkut a solicitar informações sobre a identidade verdadeira ao dono do perfil, e não bani-lo.

Mas vou ficar de olho, e se tiver a oportunidade de levar o prêmio, levarei. Afinal, o incentivo é muito bom! Mas eu ainda penso que o mais justo seria a Camiseteria abrir uma nova comunidade mesmo....

----------
ATUALIZAÇÃO:


Passados alguns dias, a comunidade original está sendo deletada e uma nova foi criada. O fake deu sua versão dos fatos, várias pessoas se manifestaram. Continuo achando lamentável a atitude da empresa na condução desse epsódio. Logo uma que é referência em termos de relacionamento com clientes.

Segue abaixo alguns comentários na comunidade (clique nas imagens para ampliar):





Varios pesos, varias medidas

Os instrumentos de pesos e medidas estão malucos. As balanças andam muito sem critério. Me  pesei, com a mesma roupa, em locais distintos: 126kg, 124kg, 121kg. No consultório médico, sem as calças e sapatos, foram 125kg.

As fitas métricas fazem complô para me deixar baixinho: 179cm, 178cm, 177cm.

Qual a consequência disso tudo? Para ficar com um IMC menos problemático mais favorável, em vez de calcular pelas médias, é melhor pegar o menor peso e a maior altura!

13 de agosto - Dia do Economista

Campanha - economistas
Lápis - Campanha - economistas

Lata - Campanha - economistas

gafanhoto - Campanha - economistas

Redentor - Campanha - economistas

Sol - Campanha - economistas

E-book ensina a proteger o blog


Manter um blog é coisa fina. É espaço de documentação, exposição, reflexão, ferramenta de conversação. Se por um lado, o que realmente importa é o conteúdo, talmbém não podemos descuidar do local onde fica o tesouro.
O Sérgio Estrella, do Icebreaker, reuniu e ensina vários passo-a-passo sobre como lidar com a segurança do seu espaço virtual. Mostra como evitar o plágio e como fazer backup de tudo que você publicou até então.

As dicas são para os blogueiros que hospedam seus espaços no Google, no blogspot, mas quem usa outros CMS (sistema de gerenciamento de conteúdo) pode se beneficiar.

Onde baixar o e-book? Aqui (.pdf), aqui (idem) ou aqui (divshare).


Estão participando do lançamento do Blogger Seguro, os seguintes blogs:
UsuárioCompulsivo, 365 dias, ENE – Eu Nós Eles, ZiunaNet, Plugado, Amt Online, Blog do Loko, JC Digital, Virtual Z1, InfoDrama, O Melhor e Pior, Pandongo, Códigos Blog, Pixel White, Blog do Dan, ALLgoritmos, Filhos da Web, Usuário Black Power, Internet Ativa, Fabrizio Malta – Diário de Bordo, NaSorte Promoções, Marynet, Amostra Grátis, Aero Gamer, Blog de Tarô, Egopidemia, Lavanderia Virtual, Infinito Positivo, Grãos de Areia pelo Infinito, PopNutri, Grupo NGJ, Sai Azar, Além das Curvas, O Bob ta Ocupado, Joserilde Júnior, Blog do Zé Marcos, Marketing Digital, Uhu! Galera!…, Ponto.Caos, Blog do Xavier, Intelectualmente™, Portal Meira, BlogIdéias, SequelaNet, Made in Brasilis, GlobGoo, Blogger na Web, Worms Web Group, Gerenciando Blog, Blog do Lausi, Advanced Unit, I/O Tecnologia, Blog EJM, The Hackerbuster, Luz de Luma, Árvore Dourada, Blog do Bauru, Nintendo Blast e Crazyseawolf's Blog

Gething

Quem visita o site, vê do lado direito algumas palavras que fazem uma pequena introdução ao Além Das Curvas:

Passei desapercebido pelo erro ortográfico até que recebi um comentário anônimo:

Getting was write as gething. It's so funny.

Get + Things + Done = Gethings Done! E não é que é engraçado mesmo?!?

Planos de aprendizagem 2.0

Cláudio tá usando o Sunbird e o Google Calendar para preparar planos de aula e quer uma opinião. Ele também pretende disponibilizar isso para os alunos da melhor forma possível e vai usar, eu acho, um blog atrelado às disciplinas.

Shikida, não conheço nenhum programa free, mas aproveitei pra perguntar ao pessoal da Edublogosfera, que é fera em utilizar de maneira efetiva as TICs - Tecnologias e Interação e Comunicação. De qualquer forma, vejo algumas possibilidades a partir do que você já está usando:

a) Compartilhar a agenda
Imagino que para cada dia de aula você abre um "compromisso" e anota os conteúdos a serem trabalhados + as atividades a serem desenvolvidas naquele dia. Seriam essas entradas que você quer compartilhar?

Uma opção seria fazer uma agenda pública (ou compartilhada apenas com os alunos) e "salvar" esses compromissos lá também. No MSO (Microsoft Outlook) eu usaria uma categoria por disciplina (acho que no Sunbird dá pra categorizar também, né?). Já no Google Calendar não é possível atribuir categorias e tags, então, as opções seriam: 1) criar uma Agenda para cada disciplina, ou, 2) Usar um código identificador da disciplina no início de cada compromisso.

Os programas de agenda tem um campo assunto e um espaço para anotações. Geralmente eu escrevia "15a aula de Economia de Empresas" e elencava os assuntos do dia dentro do memorando anexo ao comprommisso. Só que às vezes queremos ter uma visão global do andamento das aulas, e assim fica impossível. Nesse ponto, geralmente a gente volta para a planilha, nossa velha conhecida! Mas uma solução simples seria identificar no campo "subject" o tema da aula, mais ou menos assim: "15a aula de Economia de Empresas (Curvas de Custo)"

b) Postar o plano de aula no blog
Outra opção, seria simplesmente escrever no blog qual serão os temas, de véspera, abrindo espaço para os alunos comentarem depois da aula. Não esqueçer de criar uma categoria pra cada disciplina.

Em 2007 usei um blog como apoio a uma disciplina. Os objetivos foram parcialmente atendidos, pois a maioria dos alunos diziam não ter acesso regular à internet. Também já experimentei trabalhar com lista de discussão. Pelos minhas poucas andanças, tenho visto que o mais comum é os alunos criarem um email "da turma" para o professor "mandar material".

c) Criar um site colaborativo
A terceira sugestão é criar um wiki - recomendo o Google Sites (ver isto e este) - e colocar ementa, plano de curso (ou de aprendizagem, como chamam hoje :) e também registrar lá cada dia de aula. Exemplificando, abre-se uma página para o cronograma de aulas, no formato lista, como estamos acostumados:

(...)
"15a aula de E.E (Curvas de Custo)"
"16a aula de E.E (Oferta da Firma)"
(...)

Aí, para cada dia, cria-se um hyperlink para uma nova página onde será detalhado/ planejado o plano daquela aula. Essa páginas - os diários de aula - também podem ser editadas pelos alunos, que acrescentariam informações para ampliar o assunto, notas de aula, resumos de leituras, etc, etc

Cinema do interior



Século passado Jequié chegou a ter três cinemas funcionando. Depois passamos décadas sem nenhum. Há alguns meses, um empreededor de longe ouviu os anseios da população e montou uma sala aqui na cidade.

Interessante a improvisação: um galpão, forrado por dentro com panos pretos. Dois arcordicionados e cerca de três ventiladores. O som não é dos melhores, os filmes em cartaz não são exatamente lançamentos.Ontem eu estava lá, na sessão da tarde, assistindo... Wall-E!

Não, não estou reclamando. Primeiro, ir ao cinema é uma experiência diferente de assistir o filme em casa. Segundo, os preços são razoáveis. 

No início só passavam filmes dublados. O povo pediu, e agora já passam filmes legendados de vez em quando. Fizeram uma carteirinha de descontos e tem até um site com a programação. Aos poucos, eles vão se ajustando de acordo com a demanda. E, lógico, a lei da oferta e da procura está presente: o preço do ingresso aumentou aumenta nos fins de semana!

Tem que delegar mais e melhor!

A equipe é enxuta, competente, e a quantidade de trabalho é grande. Sou tipo um gerente de projetos. E também pego no batente.

Percebi, depois de vários sinais, que eu estava muito centralizador. Por que? Me envolvi muito no operacional e acabei dedicando menos tempo que o necessário ao planejamento tático e distribuição de tarefas. Esse acúmulo de minha parte resultou em comunicação deficiente. Estava me sobrecarregando e sub-utilizando a capacidade das pessoas.

Identificado os pontos de estrangulamento, envidei esforços para colocar a carruagem nos eixos novamente. Parece que está dando certo.

Não quero ser como aqueles "chefes que não ouvem seus subordinados". Sorte minha que há espaço para melhorar o aprendizado sobre a arte de delegar.

Ouça uma reflexão do Max Gehringer:

Declaração de Missão Pessoal

Se eu for escrever minha Declaração de Missão Pessoal, como sugere Sthepen Covey (de Os Sete Hábitos...), ela ficaria mais ou menos assim:

"Aprender e construir coisas novas, e fazer diferença na vida das pessoas"

Nessa vida sou um mero aprendiz e ainda há muito o que caminhar.

Quando terminei minha monografia de graduação (fazem alguns anos já), e um artigo oriundo dela foi aceito no Congresso da Sober, falei com meu orientador:

- Professor, vou fazer minha inscricão como "profissional", pois na época do evento já terei colado grau, não serei mais estudante! Esse detalhe fará diferença no meu currículo, não é?
- Enoch, se você puder, se inscreva como estudante (era a metade do preço). Afinal, nunca deixamos de ser estudantes!

Tá bom. Tirando a parte dos micos... Fico realmente feliz quando, de alguma forma, sou vetor para o desenvolvimento de alguém, por menor que tenha sido minha contribuição, como as dicas que escrevi para quem vai apresentar o TCC ou a sugestão que dei ao Ricardo, para quando ele fosse corrigir provas.

----------------------------------------
Post Scriptum:
Hoje é o último dia da promoção do SugarSync. Depois, o bônus por cada indicação cai pela metade.

Depois da formatura, que rumo tomam?

Crucial é saber o que se quer fazer profissionalmente depois da graduação - argumenta Vitor Wilher. Amplio um pouco o assunto: o que a maioria das pessoas realmente faz após o curso de Economia?!? A mesma reflexão se aplica aos oriundos da Administração e dos demais cursos que integram as ciências sociais aplicadas.

Não sei como é com os egressos das faculdades top de linha, mas com os formandos dos cursos medianos (e, principalmente no interior) a tendência é continuar fazendo aquilo que se fazia antes. Quem já estava colocado, continua no mesmo emprego e função. Se o cara não fazia nada antes, vai continuar fazendo nada. Se tocava algum empreendimento, continuará fazendo aquilo. Isso permanece até que a sorte lhe cai na sua cabeça, ou a figura resolva ralar pra sair da inércia.

Estou falando de coisas que tenho visto de perto e se repete ao longo dos anos. Por isso, digo: o que se faz durante o curso é muito importante. Melhor traçar logo um plano de carreira, senão veja o que acontece:

Durante a graduação...

Vejo, por exemplo, pessoas com o perfil adequado (mais ou menos 22 anos, solteiras, sem filhos) vão trabalhar em bancos comerciais e depois são promovidas a operador de caixa ou escriturário. Alguns chegam a gerente de conta.

Por causa da bolsa, outros permanecem longo tempo em estágios que não lhes acrescentará nada de novo depois de alguns meses .

Ainda nessa categoria, tem aqueles que vão estagiar no laboratório de informática ou em setores administrativos das universidades.

Logo depois da Graduação:

Vitor agrupa em quatro campos as possibilidades de atuação de um economista: o campo acadêmico; o campo financeiro; o campo corporativo; e as consultorias (e lá ele discorre sobre cada um).

A realidade que observo é que, com medo de enfrentar o mercado (ou de acessar sua rede de contatos), muitos se tornam concurseiros profissionais desde o início.

Alguns saem do interior e vão super verdes para a capital se aventurar na busca da primeira oportunidade (isso é complicado...). Distribuem currículos aleatoriamente, e por fim, se não se adaptarem a outros trabalhos, acabam retornando.

A realidade nua e crua:

Só depois que se formam, percebem que não é o fim do mundo exercer atividades que antes consideravam improváveis para um graduado em economia, administração, direito ou contábeis. Trabalhar atrás de balcão, apitar no trânsito, etc é comum e isso acontece com muita frequência. Para alguns, por falta de melhores oportunidades, e para outros, por pura opção (e são felizes assim).

Muitos que que estudam longe da casa dos pais, voltam para o ninho assim que se formam. A não ser que haja uma coisa muito boa os esperando, considero voltar (imediatamente) um erro. No local onde eles recém se formaram, conquistaram seu espaço. Amigos, professores e o mercado vão reconhecê-los como recém-formados com potencial para alguma coisa. Se eles simplesmente retornam para o local de origem, terão que recomeçar tudo novamente.

Mas, no final das contas, mesmo esses conseguem seu espaço no mercado de trabalho. Educação sempre vale a pena.

Arquivos: aqui, ali, em qualquer lugar


Hoje vou comentar sobre dois programas que uso para manter pastas e arquivos sincronizados entre vários computadores (sem necessidade que ambos estejam ligados ao mesmo tempo) e ainda manter um backup online - nas nuvens. Não se avexe, leia até o final, tem surpresa!

Os dados, além de ficarem localmente nos computadores, podem ser acessados de qualquer browser (Internet Explorer, Mozilla Firefox, Opera, Chrome, etc), via internet, através de uma página segura.

Mesmo que você possua apenas um computador, convém ter cópia atualizada dos seus arquivos mais importantes na internet. Se você não possui computador algum, então tenha seu "disco virtual" acessível de qualquer lugar. Já os envia para o email? Email não é a melhor solução pra isso. Já tem um pendrive gigante, de 4GB, que te permite carregar os arquivos para todo lugar, sem depender de conexão? Ainda assim, recomendo!

Ambos os programas possuem cliente desktop para Windows e Mac, página para acesso via browsers normais e para browsers de dispositivos móveis. Permitem fazer streaming de música e compartilhar pastas inteiras com outras pessoas.


Até já comentei rapidamente sobre eles. Não serei repetitivo falando das características de cada um. Mostrarei alguns pontos específicos que notei ao usá-los:

Live Mesh
  1. Permite acessar remotamente os outros computadores. Por exemplo, se você estiver longe do desktop, mas ele estiver ligado, você pode "entrar" para executar algum comando.
  2. Pode-se escutar suas músicas e vídeos direto no browser
  3. Dá pra fazer upload a partir da página mobile.
  4. É disponibilizado um espaço de 5GB, sem possibilidade de expansão.
  5. O programa avisa quais as últimas alterações e ainda é possivel escrever lembretes
  6. Se você equivocadamente apagar um arquivo, ele será retirado de todos os computadores também.
  7. Lá no Baixaki é possível encontrar um minitutorial em português, e outro, mais completo, no Peopleware. E aponte *aqui* para ver as demais características.

SugarSync



  1. É possível escutar suas músicas por streaming no computador ou no celular.
  2. Se você edita um documento várias vezes, ele guarda, se não me engano, as 5 últimas versões. Se um arquivo é deletado no computador, ele vai pra uma lixeira virtual, online, no SugarSync.
  3. Pode-se editar um documento ou planilha diretamente no browser, sem precisar baixá-lo.
  4. Permite enviar arquivos por email, onde o destinatário receberá um link para fazer o download.
  5. Possui clientes para iphone, windows mobile e blackberries
  6. A conta free permite sincronismo com 2 computadores e dá direito a 2GB.
  7. Pode-se testar os recursos completos por 30 dias. Se a conta gratuita não for suficiente, é possível adquirir mais espaço, com planos a partir de 30GB a U$4,99/mês.
  8. Informações em português: tem matéria no G1, tem texto explicativo no "Dicas de suporte do Garcia" e minitutorial no Baixaki. Veja a opinião do E aponte o mouse *aqui* para fazer um tour pelo programa.

Os dois estão instalados aqui, mas meu preferido é o SugarSync, que também é recomendado pelo Erick Engelhardt.

E agora, a melhor parte!

Cadastrando-se no SugarSync a partir deste *link promocional* (http://migre.me/3g06) até 15 de julho 31 de Agosto, tanto eu quanto você ganhamos mais 500MB na conta gratuita! E se você fechar algum plano pago, o bônus é de 10GB!

Mas atenção: não basta se inscrever. Tem que fazer o download do programa, instalar e sincronizar pelo menos um arquivo ou pasta!

Quando a coisa aperta...


Estava eu conversando e ela disse estar fazendo um curso para lidar com a procrastinação. O tal curso - Morita Therapy - é um método criado por um japonês com nome... Morita! Se baseia em fazer o que tem que ser feito sem dar atenção as emoções, ou apesar delas.

Me falou que uma das estratégias é aceitar a situação sem inventar desculpas. E aceitar o que está sentindo sem tentar modificar também. Então falei:

- Hum... Me lembrei da minha monografia de graduação: estava super-atrasado, havia mudado o tema, etc. Simplesmente não tinha tempo para parar e me lamentar. Então eu chorava ao mesmo tempo que produzia!

- Ah, então você está me dando um exemplo do que é terapia Morita !!! Exclamou.

Você vai ser julgado

"Então... Não adianta... você vai ser julgado na sua vida por cada coisa que você fizer. Inclusive você vai ter todo o conjunto de sua vida e obra julgado pela pior coisa que você fizer. Então se você foi a vida inteira uma pessoa bacana, legal, sincera, e um dia você fez uma cagada tremenda, você vai ser julgada por essa cagada!"

O texto acima é um trecho de um desabafo, "filosofia de chuva", que a Rosana Hermann fez no Gengibre um tempo atrás. Ela comenta sobre essa pressão de ter que ser bom todos os dias... (ouça na íntegra clicando aqui ou na bonequinha do início do texto, se estiver lendo diretamente no blog).

Favoritei e fiquei à espera do momento certo pra comentar. E eis que neste fim de semana, em que todos as mídias falam da partida de Michael Jackson, tive um novo insight sobre o post da Rosana:

Se você for uma pessoa, um profissional, um amigo ou um sei-lá-o-quê excepcional, voce será lembrado mais pelo seus feitos do que pelos seus erros!

O Ministério da Educação e o mestrado profissional

Semana passada foi o fim da exigência do diploma para trabalhar como jornalista, e para esta, o assunto da vez é que o MEC e a CAPES mudaram as regras do jogo para os mestrados profissionais. A primeira coisa que pensei foi: como o mercado vai reagir?

Do jeito que eram regulamentados antes, eu tinha a impressão que a diferença entre um mestrado acadêmico (MA) e um mestrado profissional (MP) era de que, no segundo, se assumia que os alunos trabalhavam, então a organização levava isso em conta nos horários de aula, etc. O paradoxo é que muita gente que cursa um MA, trabalha paralelamente, mesmo quando as normas do programa requer dedicação exclusiva!

Dizem que com essa mudanças, o MEC visa aumentar o número de vagas em todo o país. Sobre esse particular, o @manoelbr foi direto ao ponto: "Quando não se cumpre a meta, muda-se formato e medida". Sem dúvida, essa frase propõe varias reflexões sobre as maneiras de o Estado se mostrar eficiente.

Os ótimos MPs que existem devem continuar ótimos. Mas com a possibilidade de transformar especializações lato sensu em  mestrados profissionais, a oferta vai aumentar e a qualidade vai cair. Fico apreensivo, pois talvez os MPs percam valor.

Pessoas sem formação acadêmica poderão lecionar. Ok, existem em todas as áreas, profissionais (sem formação stricto senso) experientes e  reconhecidamente competentes  que podem agregar muito num curso desses. Mas são poucos.

O Prof. Palazzo tece algumas considerações, em seu blog, comparando a situação do Brasil com o que acontece na Europa:
"O problema é que [no Brasil] AMBOS tem os mesmos direitos. Para mim, e para meus colegas daqui, isto é um erro. Para um doutorado acadêmico o mestre profissional não tem a formação conceitual necessária."

Nem sei se concordo integralmente com o prof Palazzo, mas acredito que essas mudanças podem ser positivas. Mas desde que fique claro qual o papel de um MA e um MP, e quais os custos e benefícios de cada uma das escolhas possíveis.

Como inchar seu currículo Lattes

Sabemos que nem tudo precisa entrar no currículo. E o que for colocar, tem que pôr no lugar certo. Às vezes me deparo com umas coisas bizarras engraçadas. Vou me ater ao Lattes:

Tem gente que publica bastante em revista local de variedades e cadastra tudo como "artigo completo em periódico". Tem doutor que anota como "trabalho técnico" a atuação como fiscal de sala em vestibular e concursos.

Sabemos que de tempos em tempos é bom fazer uma limpeza no currículo. Por exemplo, hoje não tem relevância dizer que participei do I Seminário de Turismo do Sul da Bahia a anos atrás ou que assisti a um ciclo de palestras com Bautista Vidal em 1998.

Mas tem pessoas que registram tudo. Tudinho mesmo. No campo "formação complementar" (que é destinado a cursos de aperfeiçoamento com carga horária razoável) um certo alguém, possuidor de 02 pós-graduações latu senso, fez questão de frisar no currículo acadêmico que, além dos mini-cursos de WordstarMS-DOS,  concluiu o curso teórico de 15h da auto-escola...


Tá, essas coisas podem até ser importantes na hora de pontuar em um concurso para docente. Mas aí, o melhor seria manter duas versões: um público, enxuto e relevante, e outro, em arquivo, com toda a parafernália, pra ser usado somente quando necessário.

Vale a pena consultar uma nutricionista?

Confesso que estava com preconceito de ir à nutricionista. Afinal, todo mundo sabe o que fazer para ter uma alimentação saudável: mastigar bem, comer várias vezes ao dia, evitar frituras e muitos doces, comer mais frutas e verduras, etc, etc.

Por insistência do médico, devido a um quadro de excesso de peso + insulina alta (mas não chega a ser diabetes) + triglicérides altíssimo + colesterol no limite (mas o bom colesterol está muito baixo ) + ácido úrico acima + hipertensão, fui a primeira vez na antevéspera do natal passado.

O engraçado é que antes da consulta passei no supermercado e comprei alimentos que, apesar de fazerem bem à saúde, fiquei sabendo logo depois que não deveria ingeri-los, pelo menos por enquanto.

A nutriconista viu meus exames e me orientou de forma a regularizar aqueles índices. Devo evitar batata, beterraba, couve, arroz integral, feijão, uva, tomate, vegetais folhosos verde-escuros, cuscuz, chás e até mingaus. Quanto ao que comer, discutiu comigo uma lista de coisas, e não me deixou preso*a um cardápio rígido. Também pediu pra eu comer- por um tempo - 3 castanhas por dia e semente de linhaça 3 vezes por semana.

Agora sou mais consciente: sei que no meu caso é melhor comer um pastel de forno do que um sanduíche natural feito com pão integral, cheio de uva-passa.

A dica é essa: vale a pena consultar um nutricionista, mas leve junto seus exames de sangue recentes.

É claro que tentações existem e saio da linha constantemente. Em casa o povo não colabora: é carne na churrasqueira ou frita no óleo todo dia! Ainda temos o hábito de acordar no meio da noite pra conversar enquanto comemos Josefina...

Rapidinhas #05

1) Pegadinha do telemarketing bancário:
Acabo de ligar no 0800 do banco para resolver umas coisas.
No final a atendende aproveita para avisar que está programado para minha conta um débito mensal de R$10,00 referente a um título de capitalização onde eu concorro a prêmios, e que falta escolher a melhor data entre os dias x e y....
- Peraí minha senhora, não tem programado débito nenhum, porque não contratei este serviço. Você está me fazendo uma proposta, né não?!?
- Sim, eu disse que era um proposta, o senhor deve ter escutado errado...

2) Novo mestre:
Deixo meu parabéns e votos de sucesso na carreira a Ricardo Martini que acabou de defender a dissertação Ciclos Econômicos e a Composição da Pobreza no Brasil!

3) Backup online do conteúdo do celular:
Ainda não testei, mas me parece que o My Phone pode ser a solução que eu procuro para manter meu pim (especialmente minhas listas de próximas ações - tarefas) sincronizado nas nuvens, no cliente desktop (MS Outlook) e no smartphone. (via WinAjuda).

4) Conversas recentes lá no grupo de discussão:
  • Organização de livros - Pessoal, como vcs costumam organizar seus livros? Por estilo? Por ordem alfabética? Eu hoje resolvi brincar um pouco e organizei alguns dos meus de acordo com (...)
  • Pensamentos sobre o GTD - Cheguei a conclusão de que o GTD deveria ser ensinado nas escolas. Que ensinassem pelo menos (...)
  • Gmail x emails de grupos - Olá pessoal, gostaria de saber como vcs lidam com os e-mails recebidos dos grupos dos quais participam a fim de manter a inbox do gmail vazia. Quando eu usava (...)
5) Sem impostos
Hoje, 25 de maio de 2009, é o Dia Da Liberdade de Impostos, com ações em 4 capitais. (via De Gustibus)

Hoje faz oito anos...

Então, hoje faz aniversário de 8 anos que me formei em economia pela Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC). Pra quem não sabe, nessas cerimônias recebemos o poder no dedo indicador: o reitor (ou quem o esteja representando) segura nosso dedo, e, "em nome da República Federativa do Brasil", outorga o grau de bacharel... É um momento... lúdico! (risos)

Até hoje lembro a sensação engraçada quando peguei o diploma: quatro anos resumidos em um pedaço de papel! Apesar das lacunas que tivemos na formação, o tempo respondeu que valeu a pena.

Fomos uma turma comprometida e tivemos alguns ótimos educadores. Saudades daqueles amigos, da universidade e dos professores.

Não tenho dúvidas de que o curso é útil para a vida e para o trabalho. Mesmo assim me pergunto de vez em quando quais os parâmetros para dizer se um bacharel em economia atua realmente na área. Temos a formação, mas atuamos na profissão?

Se olharmos a lei que regulamenta, praticamente qualquer atividade se enquadra, mas não é disso que tô falando...

Exame ANPEC - Para onde foram os convocados?

gráfico de dispersão, média X classificação do candidato

Trago uma planilha com informações úteis a quem pretende fazer mestrado em economia. São algumas pistas para perguntas como "quanto preciso tirar para entrar na EPGE, PUC-RJ, na USP, na UFGRS, no CEDEPLAR, no CAEN, no PIMES, etc?".

Contém resultados do Exame ANPEC 2009, incluindo para quais centros foram boa parte dos candidatos convocados. Há outras informações relevantes, como médias e desvio padrões ao longo de nove concursos.

Dois terços dos programas de mestrado não corrigem a prova discursiva de Economia Brasileira, e 4 ou 5 sequer consideram a prova objetiva.

O desempenho geral ano passado foi considerado baixo, mas as provas foram bem pesadas. Para a ANPEC 2010 espera-se que a concorrência aumente bastante - efeito da crise.


notas médias e classificação, ao longo de 9 anosDos 915 inscritos, houve evasão de 16,28%. As 766 pessoas que fizeram as provas possuíam idade média de 26,5 anos e 68% se formaram nos últimos dois anos. Apenas 34,6% são mulheres.

Quatorze pessoas declararam que fizeram o Exame pela segunda vez, 8 declararam que fizeram pela terceira vez e 27 disseram ser treineiros.

Conseguimos levantar o destino de 297 convocados (foram anunciadas 524 vagas). Destes, a idade gira em torno de 24,85 anos e 1,2 anos de formados. Noss centros considerados top, os mestrandos tem idade média ligeiramente menor.

Fica subentendido que o custo de oportunidade em prestar ANPEC é maior, quanto maior o tempo de formado. Dos atuais mestrandos que conseguimos identificar, cento e dezoito deles ainda não haviam se formado na ocasião da prova e 50 pessoas tinham concluído a graduação há um ano.


quantidade de pessoas que fizeram anpec, segundo seu ano formatura.

A pasta de trabalho (conjunto de planilhas) foi elaborada a partir da lista feita por Artur Manoel Passos, mestrando da PUC-Rio, através da colaboração de várias pessoas. Juntei a ela informações coletadas na própria Comunidade da ANPEC no ORKUT e em diversos sites, mais a planilha com informações divulgadas pela UNESP. Não confundir essa com a outra, que mostra as estatísticas dos inscritos no exame 2009.



Para fazer o download, basta clicar com o botão direito aqui ou no ícone da planilha.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...