Dicas para estudantes móveis

"O tempo em que estudantes copiavam suas aulas naqueles cadernões universitários e ficavam em filas de xerox acabou. Na era digital, estudantes podem otimizar seus estudos com o auxílio de PDAs" - Bia Kunze, a Garota Sem Fio, em um dos seus blogs - o Profissionais Móveis, escreveu algumas dicas para estudantes que possuem palm ou pocketpc.

Em determinado momento ela fala:

- Use seu PDA como gerenciador de atividades acadêmicas. Na seção de tarefas ou calendário, anote todas as provas e trabalhos, bem como os prazos de entrega. E configure alarmes. Nunca mais você perderá nota porque se atrapalhou com os prazos.

E é aqui que faço um adendo, seguindo a metodologia Getting Things Done:

Para o Calendário vão compromissos com hora ou data marcada. Para o Tarefas vai tudo aquilo que queremos fazer o mais rápido possível, mas não tem uma data final que DEVE ser obedecida.

Se você é estudante, além de ler o artigo da Bia, dê uma olhada no que escrevi sobre os usos do calendário, e de lá siga para a conversação que se estabeleceu no GTDbr.

Profissional de Finanças


Dim Dim!
Originally uploaded by Carlos.E.

Achei que seria interessante deixar essa dica aqui. Vai interessar a quem é da área de economia e finanças, controladoria, e curiosos afins.

Essa é uma das primeiras listas de discussão que participei. Coordenado por José Luis Amâncio, o grupo de discussão Profissional de Finanças tem um banco de conhecimento respeitável: são quase 18 mil mensagens e mais de 27.500 visitas acumuladas desde 2001! Usando o mecanismo de busca do site dá pra achar muita coisa boa lá.

Apesar disso, nos últimos tempo o grupo deu uma esfriada. Minha opinião é que é preciso retomar o foco em discussões e colaboração. Se você quiser somar ou multiplicar, deixo o convite.

"É o ponto de encontro dos profissionais da área de finanças - leitores da VOCÊ S/A. Ideal para quem deseja trocar idéias sobre práticas do mercado, carreira em finanças, compartilhar arquivos e conhecimentos e realmente "Fazerem a diferença !"(Clique aqui para chegar lá).

--------------------------------------------------------------------
Já Cotei: Calculadora Financeira :: Livros de Finanças
--------------------------------------------------------------------

Mais GTD na blogosfera, em português

Como de costume*, passo pra deixar registrado o que têm-se falado na blogosfera sobre Getting Things Done - em português:

=> O depoimento de André Valongueiro, dividido em três partes, sobre os ganhos de produtividade que ele alcançou com o GTD e tendo a vaquinha como instrumento principal.

=> Tem também o Rodrigo Maués, manauense usuário de Mac OSX, com uma série de artigos. Ele consegue sincronizar notebook, Treo e caderno.

=> Walmar Andrade - escreveu bastante. Fez uma resenha do segundo livro de David Allen, e agora fala qual o impacto que o GTD teve em sua vida, depois de quatro meses utilizando o sistema.

=> E Rodrigo Stulzer, do Empirical Empire, contou como foi sua saga para implementar o sistema, e diz que pôde esclarecer alguns pontos com a ajuda do Grupo de Discussão.


Além destes, não poderia deixar de relembrar:

=> Antônio Azevedo fez um artigo-resumo explicando detalhadamente a metodologia. No tempo em que o livro permanecia fora de catálogo, foi a explicação mais sistemática disponível em português.

=> A definição de Getting Things Done - A arte de fazer acontecer, dada pelo próprio autor. Nada melhor que ler a explicação de quem criou a metodologia, não é? Tradução feita pelo controller Valdemir Fernandes, membro do GTDbr.

=> A Entrada sobre GTD na Wikipedia (em português), com vários links.

Deixei passar alguma coisa? Comentários! :)

-------------------------------
* Confira aqui e .

---------------------------------------------------------------------
Já cotei: Livro a Arte de Fazer Acontecer ::
Palmtops e pdas

Arquivo de Referência Geral A-Z - Guardando a papelada

Sabe aquele folder que vc trouxe de um evento e quer guardar, porque talvez possa precisar algum dia? E aquela correspondência que chegou e você quer guardar como referência? Ou a apostila xerocopiada que você usou para estudar para a prova de métodos quantitativos? Onde estão os papéis que vc rabiscou quando estava planejando alguma coisa e não queria passar para o meio eletrônico?

David Allen explica que "você precisa se sentir confortável em armazenar mesmo uma única folha de papel, à qual desejará recorrer mais tarde. Seu sistema deve ser informal e acessível a tal ponto que seja possível arquivá-lo num estalo (...)"

Ele recomenda (e eu também =D ) que se faça um Arquivo de Referência Geral A-Z. Pense neste arquivo como se fosse um grande fichário. A regra geral é pôr cada papel numa pasta individual (manilla folder) e organiza-las por ordem alfabética.

Eu gostei muito da idéia. Como não achei nada pronto que se encaixasse no que eu precisava
, peguei uma caixa de papelão e fiz eu mesmo o meu Arquivo Geral. Mas achei que não precisava colocar cada papel, panfleto, documento, apostila, em pastas separadas - bastava etiquetá-las com post-its e dispô-las de A a Z. Fiz o teste. Advinha como ficou a caixa amarela?

Ficou uma bagunça! Achar qualquer coisa ali era como ter que procurar em várias gavetas... Eu sabia que estava próximo, mas como cada papel era de um tamanho, eles se perdiam, se misturavam. Entendi que era melhor fazer do jeito que estava descrito no "manual"!Como o próprio Allen diz, as dicas e truques que estão no seu livro não são verdades absolutas. Mas são fruto de mais de 20 anos de trabalho na área e isso deve ser levado em consideração...A nova versão ficou  assim:

Caixas-arquivo em 12/jan/2007
Caixas-arquivo em 12/jan/2007 Caixas-arquivo em 12/jan/2007

Pronto! Agora ficou fácil encontrar o que está lá. A tendência é esse arquivo crescer e crescer. Algumas pessoas costumam cadastrar numa planilha eletrônica ou num banco de dados tudo o que entrar no Arquivo, mas eu não senti necessidade de fazer isso.

Lá no grupo GTD Brasil - GTDbr esse assunto foi discutido a alguns meses. A Cynthia usa um arquivo temporário de maneira diferente, e Natália prefere usar pastas com elástico. Assim que eu encontrar os links, adiciono aos comentários.

Pra saber mais, recomendo ler o livro, capítulo 07:
Organizar - como definir os compartimentos certos. Procure por "Como organizar dados não passíveis de ação.

-------------------------------------------------------------------------------------------------
Vai se aventurar e montar o seu? Já cotei::: Papelaria :: Informática e Escritório ::Livro a Arte de Fazer Acontecer ::
=========================================================

Capital X Interior


Centro de Jequié
Originally uploaded by Joe Edman.
Moro numa cidade de 150 mil habitantes. Muita gente pensa que quem vive no interior trabalha menos, e quem mora em cidades maiores, capitais, tem o ritmo de vida mais intenso.
Sempre que escuto isso, costumo dizer que a diferença entre a capital e o interior é o tempo que se gasta com deslocamento. Em outras palavras, no interior trabalhamos mais, ou nos nos envolvemos em mais atividades porque tudo é relativamente mais perto, gasta-se menos tempo no trânsito.

David Allen diz que podemos aproveitar as pequenas intervalos brechas ao longo do dia - aqueles 5 minutinhos - para ir adiantando as coisas. Agora me vem à mente duas situações, e mais uma pergunta:
  • O que você costuma fazer quando está preso(a) no trânsito?
  • O que você costuma fazer (além de esperar) quando está numa fila, especialmente aquele tipo de fila onde se fica em pé e demoooora?!?
  • O que você costuma fazer durante aqueles 5 minutinhos entre uma atividade e outra?

Participe comentando aqui mesmo, ou lá no grupo GTDbr.

--------------------------------------------------------------------
---------------------------------------------------------------------

Resiliência, por Cláudia Riecken

Chegou ontem à tarde uma encomenda que eu estava esperando e tem tudo pra ser um dos meus livros de cabeceira:
SobreViver - Instinto de Vencedor - Os 12 Portais da Resiliência e a Personalidade dos Sobreviventes.

Resiliência é um conceito emprestado da física, e pode ser definida como a capacidade para lidar com o stress, enfrentar e superar adversidades e resistir à pressão sem perder a cabeça.

O livro fala que essas características podem desenvolvidas. Diz que o segredo está no bom humor, na autoconfiança e no jogo de cintura.

Assim que eu terminar a leitura (ainda vou começar, he he he), darei minha opinião fazendo uma espécie de resenha. Enquanto isso, para saber mais sobre resiliência e sobre o trabalho da autora, veja:

Entrevista para a revista Você S.A., de março de2007:
E assista on demand a duas palestras pela Endeavor:
------------------------------------------------------------------------------
[Sobre o livro... aproveite e vá cotando o seu exemplar :) ]
---

Minha memória RAM virou papel!

Eu já falei isso aqui antes, mas acho que merece uma explicação melhor.

O conceito de "Memória RAM" diz que ela é volátil, transitória. É memória de trabalho, onde são carregados os programas e processadas a informações.

O ponto em que quero chegar é: se gastarmos nossa memória RAM pra lembrar das coisas que temos que fazer, em vez de usar essa energia realmente fazendo, raciocinando, produzindo, então isso vai sobrecarregar o "sistema"


Como sabermos, uma das prerrogativas para ter a mente clara como água é... tirar tudo de dentro da cachola! Pois bem...

Estou condicionado a anotar o que vou fazer imediatamente depois, ou o que estou fazendo no momento. Se eu não anotar, provavelmente vou esquecer. Isso acontece principalmente nos dias em que o corre-corre é maior; as interrupções, constantes. Nesses momentos, simplesmente não dá pra sacar o pdaphone (palmtop + celular) e anotar. É preciso algo mais instantâneo:

Carrego folhas de papel em branco, dobrados no estilo pocketmod. Tenho usado vários deles, ao longo do dia, para fazer anotações rápidas e descartáveis, pequenos lembretes que serão úteis logo em seguida, etc...

Na verdade, esses bloquinhos tem sido a salvação de minha "Memória RAM". Assim, fico liberado pra focar no que é importante. Ou urgente.

Off Topic: Aniversário

Estou pensando seriamente, a partir do próximo ano, retroagir a idade até voltar aos 25. Fiz 28 agora, ano que vem faço 27, depois 26, e em seguida, 25 : D

Semana passada cantei/ cantaram "parabéns pra você", digo, para mim :) Em comemoração, deixo de presente aqui pra vocês um vídeo from Youtube, de uma banda mexicana chamada Café Tacuba, ou Café Tacvba. A música chama-se "Ojalá Que Llueva Café", originalmente cantada por Juan Luis Guerra.

Ah! Breve este blog vai comemorar dois anos!



Cinco passos para fazer qualquer coisa acontecer

Para fazer as coisas acontecerem no modo GTD, um projeto (ou mesmo as pendências do dia-a-dia) passa por cinco fases até ser concluído: Coletar, Processar, Organizar, Revisar e Executar. Gustavo Cardoso, da Dois Criação, pediu exemplos de como esses estágios acontecem. "Alguma coisa bem simples mesmo, somente para me ajudar a compreender melhor isso na prática" - Disse ele.

Então eu criei um exemplo a partir de uma conversação anterior:
"(...) suponha que vc está cuidando do jardim e pensa: "quero doar a Barsa para alguma escola pública". O que vc faria? Largaria as plantas e sairia imediatamente para encaixotar a enciclópédia e levar até a escola mais próxima? E se, no meio do caminho, vc lembrar que quer colocar as cobertas pra tomar sol, vai voltar do meio do caminho?"

Parece um samba-do-crioulo-doido, não é? Veja como desenrolar isso na lista de discussão GTD Brasil.

Em seguida a Sílvia-BH falou (escrevendo):
- Enoch deu um exemplo de como o mesmo projeto passa pelas cinco fases, entre ser pensado e efetivamente concluído. Meu exemplo é um pouco diferente, as cinco fases acontecem com vários ítens ao mesmo tempo: (que tal ver como é isso lá no GTDbr? )
--------------------
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...